microgerenciamento

Como o microgerenciamento pode desmotivar os colaboradores?

Gerenciar e liderar o time é a chave para o sucesso e alta produtividade no ambiente de trabalho. Para isso, é preciso acompanhar de perto cada um dos profissionais, mas isso não significa que deve haver um microgerenciamento das atividades.

O controle excessivo por parte do líder traz junto muita cobrança e intervenção desnecessária. Para entender melhor o quão prejudicial pode ser o microgerenciamento e o motivo pelo qual essa prática deve ser evitada, continue aqui!

O que é microgerenciamento?

Quando a empresa conta com uma liderança insegura e muito autoritária, o microgerenciamento surge quase como uma consequência. Essa forma de gerenciar além de desmotivar os colaboradores, prejudica a empresa em outros aspectos muito significativos.

Ele é caracterizado por uma liderança em que os colaboradores não têm autonomia e nem espaço para serem proativos e trazerem novas ideias que podem beneficiar a empresa. Isso acontece porque o gestor que micro gerencia o time, interfere em todos os processos por querer ter o domínio de cada etapa, até mesmo das mais operacionais.

Apesar desse gestor acreditar que está apenas demonstrando uma preocupação com a qualidade do trabalho e que essa é a melhor maneira de gerenciar, na realidade, ao fazer isso, ele está sendo autoritário ao extremo. Para um gestor que pratica o microgerenciamento, tudo deve acontecer do seu jeito e da forma que ele acredita ser a mais correta.

O grande problema em aceitar esse tipo de prática na empresa, é que uma liderança autoritária e com cobranças desnecessárias afeta diretamente a produtividade dos profissionais e a eficácia de seu trabalho. Portanto, para evitar problemas como esse, é preciso identificar se existe um líder com essas características e mudar o cenário.

Como identificá-lo na empresa?

Identificar um líder que pratica o microgerenciamento é uma tarefa relativamente fácil. Para isso, basta analisar se algumas dessas características que vamos citar seguir está presente, ou não:

  • O gerente acredita que toda tarefa, por mais simples ou rotineira que seja, deve passar por sua aprovação;
  • Acredita que sua opinião está sempre certa e é mais válida do que a do profissional especialista que ele gerencia;
  • Não permite que os colaboradores tomem iniciativas criativas na empresa e nem tomem decisões;
  • Pede para que esteja como cópia em todos os emails enviados;
  • Proíbe que as equipes ou os membros da equipe conversem entre si sobre os projetos sem sua presença.

Enfim, sinais de microgerenciamento são quaisquer sinais de autoritarismo ou controle excessivo.

Por que o microgerenciamento é um desmotivador?

O microgerenciamento nas empresas é desmotivador por diversos motivos. Até porque, nenhum profissional gosta de ser barrado em todas as inciativas que tem. O primeiro motivo que podemos citar é que o gerenciamento exagerado aumenta a insatisfação dos colaboradores com o trabalho por serem cobrados constantemente.

Além disso, por não terem abertura para explorar a criatividade com novas soluções, o nível de criatividade e inovação também cai. E consequentemente a produtividade dos integrantes do time despenca.

Essa série de fatores fazem que a equipe afetada pelo microgerenciamento se sinta cada vez mais insatisfeita, tornando o clima do ambiente organizacional tóxico e desagradável. Tudo isso somado, faz com que a taxa de rotatividade da empresa aumente e que ela fique mal vista pelos funcionários e também no mercado de modo geral.

Por conta de tudo isso que mencionamos, é preciso tomar muito cuidado na hora de contratar os líderes da empresa e, caso esse problema já tenha sido identificado, ele deve ser tratado o quanto antes e da melhor maneira possível!

Também podem te interessar

Receba novos conteúdos
no seu email: