Entenda a importância do processo de admissão

Entenda a importância do processo de admissão

O processo de admissão é um conjunto de etapas a serem concluídas para que o novo funcionário seja admitido conforme as leis trabalhistas mandam, mas não é só isso. Essas fases da contratação requerem atenção e algumas práticas que possibilitam a melhor tomada de decisão.  

Neste artigo iremos abordar o geral do processo de admissão para ficar claro como o RH pode tornar essa fase mais prática para o setor. Continue a leitura! 

O que é o processo de admissão?

A admissão em si, é o ato de contratação de um profissional. Já o processo de admissão são todas as atividades que o RH deve desenvolver até a chegada desse funcionário a empresa. Ou seja, desde a busca por um profissional qualificado a vaga, até o onboarding. A Lei que rege o processo de admissão de funcionários é a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), que garante os direitos e deveres que a empresa e os empregados devem seguir. 

Qual a importância do processo de admissão?

Você deve concordar que tudo que é feito de forma planejada, tende a ser melhor executado, não é mesmo? Encontrar e contratar profissionais qualificados que se adéquem a vaga ofertada é pensar no futuro da empresa e nos resultados. Ou seja, a importância de um processo de admissão se dá pelo fato de que aquele novo colaborador somará com a corporação, visto que esse processo trará à empresa profissionais que se identificam com a cultura, missão e valores do seu negócio. 

Todas as etapas do processo de admissão devem ser alinhadas com o contexto da empresa e vaga. Atualmente, com a tecnologia que os RHs podem aplicar nas tarefas, ter um processo de admissão lento e burocrático te faz perder vários profissionais excelentes do mercado. 

Quais os principais contratos de admissão?

O processo de admissão pode ser feito de várias maneiras, conforme os tipos de contratos existentes. Confira. 

  • Contrato por tempo indeterminado 

Nessa forma de contratação na há data prevista para o encerramento do vínculo empregatício. Ou seja, o rompimento só ocorre se houver demissões ou pedido de dispensa. 

  • Contrato por tempo determinado 

Diferente do tópico acima, essa forma de contratação tem um tempo preestabelecido. O prazo máximo para prestação de serviços é de 2 anos, exceto para contratos de experiência, que explicaremos logo a seguir. Após o tempo máximo, a empresa pode prorrogar esse prazo uma vez, desde que não ultrapasse 2 anos. 

Esse formato de contratação está previsa pela CLT – em casos de admissão em caráter de experiência, em empresas que funcionam apenas em uma certa temporada ou serviços que justificam o prazo pré-determinado. Além disso, o funcionário contratado não tem direito a seguro-desemprego, multa do FGTS e indenização do aviso-prévio. 

  • Contrato de experiência 

Como citado acima, o contrato de experiência é outra forma de admitir um funcionário, porém, a previsão de período é menor, de 90 dias. Isso garante que ambas as partes, funcionário e empresa, tenham a certeza da escolha. Está previsto na CLT que esse período pode ser dividido em duas partes. Por exemplo: você pode contratar por 30 dias e prorrogar a experiência por mais 60. 

  • Trabalho autônomo 

Essa modalidade não requer vínculo empregatício e o profissional trabalha de forma independente. Geralmente, os profissionais são designados par um projeto específico e não há necessidade de subordinação a outro funcionário. 

  • Contrato de Estágio 

Essa forma de contratação se enquadra no programa Menor Aprendiz – sendo uma iniciativa do Governo Federal. O prazo estabelecido pode chegar a no máximo 2 anos e é voltado para estudantes adolescentes de 14 a 18 anos. 

Para essa modalidade, alguns requisitos são primordiais, como: estar matriculado na escola e manter a frequência assistindo às aulas.  Por isso, o horário de trabalho é no contra turno escolar e o salário é compatível com a carga horária. 

Etapas do processo de admissão

Como citado acima, o processo de admissão tem inúmeras etapas até chegar a formalização do novo empregado a empresa. Listamos as principais fases desse processo, se quiser conferir os detalhes de cada uma, confira aqui. 

  1. Recrutamento e processo de seleção;
  2. Aprovação do candidato;
  3. Documentação do colaborador;
  4. Documentação da empresa;
  5. Detalhes necessários para o início das atividades;
  6. Treinamento e integração do funcionário. 

Quais as vantagens de planejar um processo de admissão?

Se você planejar, o processo de admissão fica mais focado nos objetivos da empresa e menos complicado para o RH desenvolver, visto que cada etapa leva vários detalhes. Separamos algumas vantagens importantes desse planejamento. 

  • Reduzir custos 

Um processo admissional requer tempo, mas se bem estruturado o RH consegue diminuir as horas necessárias para a conclusão das etapas. Além disso, há no mercado ferramentas que auxiliam e otimizam algumas etapas desses processos, podendo ser evitado até mesmo o retrabalho e os processos trabalhistas

  • Estratégias para o seu negócio 

Contratar um novo funcionário é ter “sangue novo” na empresa. Motivação e novas ideias acarretam estratégias e resultados para o seu negócio. Por isso, recrutamento e seleção devem se basear em boas práticas, como automação de tarefas, testes psicológicos e outros. 

  • Rotatividade de pessoas 

Um processo de admissão com falhas pode acarretar diversos prejuízos a empresa. Visto que a rotatividade de pessoas está associado a erros de contratação vinculados a profissionais que não são compatíveis com o fit cultural da empresa, perfil psicológico, habilidades comportamentais. Todos esses aspectos podem e devem ser analisados durante o processo seletivo, por isso é tão importante seguir os passos com atenção. 

Por hoje é só, mas se você gostou desse conteúdo e quer mais informações sobre admissão digital e tendências de RH,  assine a nossa newsletter e entre no nosso canal do Telegram: Eu Amo RH!

Até o próximo artigo! 💙

Também podem te interessar

Receba novos conteúdos
no seu email: