Remuneração: quais são as formas e como definir a melhor?

Remuneração: quais são as formas e como definir a melhor?

Ao contrário do que muitos pensam, remuneração e salário não são a mesma coisa. Na realidade, a remuneração pode abranger o salário, já que ela é o conjunto de valores pagos aos empregados.

Para explicar melhor esse conceito, vamos expor aqui, quais são as principais formas de remuneração existentes no mercado, e também, como fazer para definir qual é o melhor tipo para cada empresa.

Formas de remuneração

O sistema de remuneração mais tradicional e que a maioria das empresas conhecem, é a remuneração por cargos e funções. Porém, junto com todas as mudanças que sempre ocorrem no mercado, as formas de remunerar também vão se adaptando.

É certo que cada uma das formas possuem finalidades e objetivos diferentes, então cada uma tem suas peculiaridades, assim como suas vantagens também. Para ilustrar melhor, vamos falar mais detalhadamente sobre as sete principais formas de remuneração da atualidade.

Remuneração funcional

Também conhecida como Plano de Cargos e Salários, essa forma de remuneração é muito utilizada em empresas que geralmente distribuem o valor pago aos colaboradores de forma que quanto mais alto é o cargo do funcionário, maior é a quantia recebida.

Nesse sentido, a alta quantia que as pessoas com cargos mais elevados recebem, é vista como forma de incentivo para as de cargo mais baixo. A ideia é que esses com “cargos inferiores” se esforcem para alcançar uma remuneração maior.

onboarding

Gratificação por habilidade

Nessa forma de remunerar os funcionários, o valor atribuído a cada pessoa é definido pelas habilidades que a mesma apresenta. Ou seja, pessoas com maior nível de especialização recebem um valor mais alto do que as com menor nível de especialização.

A ideia aqui, é incentivar que os colaboradores estejam sempre buscando se aprimorar em suas habilidades ou área de trabalho. Esse tipo de remuneração contribui para uma baixa taxa de rotatividade de funcionários na empresa, e incentiva processos seletivos internos.

Participação acionária

Para quem ocupa cargos de confiança, é comum que a empresa resolva incluir a participação acionária como forma de remuneração. Isso quer dizer que a organização oferece uma fração da empresa ao funcionário em questão.

Embora seja muito gratificante ter uma participação desse nível na empresa, quase sempre a fração que o colaborador possui é muito baixa, logo ele não tem nenhum poder de decisão, e muito dificilmente isso acarretará em prejuízo para a organização.

O grande benefício aqui, é que o colaborador cria um maior senso de pertencimento e identificação com a empresa.

Remuneração variável

A remuneração variável é utilizada em empresas que preferem pagar seus colaboradores pela quantidade de serviços prestados. Porém, é importante ressaltar que de acordo com o artigo 78 da CLT, mesmo que o valor remunerado seja condizente com os serviços prestados, ele nunca pode ser menor do que o salário mínimo vigente:

Art. 78 – Quando o salário for ajustado por empreitada, ou convencionado por tarefa ou peça, será garantida ao trabalhador uma remuneração diária nunca inferior à do salário mínimo por dia normal da região, zona ou subzona.
Parágrafo único. Quando o salário-mínimo mensal do empregado a comissão ou que tenha direito a percentagem for integrado por parte fixa e parte variável, ser-lhe-á sempre garantido o salário-mínimo, vedado qualquer desconto em mês subseqüente a título de compensação. (Incluído pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967)

Salário indireto

Salário indireto é a remuneração geralmente representada pelos benefícios que as empresas oferecem aos funcionários. Por exemplo: vale-refeição, vale-transporte, planos de saúde, auxílio creche, entre outros.

Essa nunca é a forma principal de remunerar, embora ela geralmente venha como complemento de alguma das outras formas.

Remuneração por competências

Esse tipo é bem parecido com a remuneração por habilidade. Porém, nesse caso é muito mais comum que se trate de cargos gerenciais, enquanto na por habilidade, geralmente se trata de cargos mais operacionais.

O fator que não muda, é que tanto em um quanto em outro, há uma exigência muito grande de comprovação de competências ou habilidades.

Comissões ou bonificações

Esse tipo é bem conhecido principalmente entre os vendedores. A ideia aqui é incluir uma remuneração para os colaboradores que fecham alguma venda ou contrato que traga retorno financeiro para a empresa. No caso, essa remuneração se trata de uma porcentagem do valor da venda.

Esse é um ótimo incentivo para fazer com que os funcionários vendam mais e, consequentemente, tragam mais lucro para a organização.

Como definir a melhor forma de remuneração na empresa

Antes definir a forma de remuneração na empresa, lembre-se que você não precisa se limitar a escolher apenas uma. Inclusive, quase sempre são adotadas formas variadas de acordo com cada necessidade.

Sabendo disso, basta se atentar a 3 pontos principais:

  • Qual é o objetivo da empresa ao definir determinada forma de remunerar o funcionário?;
  • a forma escolhida vai trazer benefício para os dois lados (empregador e empregado)?;
  • esse tipo de remuneração pode prejudicar o orçamento da empresa?.

Com as respostas dessas três perguntas em mãos vai ficar fácil definir qual é a melhor forma a ser adotada.

Também podem te interessar

Receba novos conteúdos
no seu email:

admissão