Onboarding remoto: dicas para receber o novo colaborador

Onboarding remoto: dicas para receber o novo colaborador.

Não é novidade nenhuma que muitas empresas migraram suas atividades para o home office devido à pandemia. Essa nova realidade modificou, e muito, a forma como os colaboradores foram sendo recepcionados nas empresas. E, como resultado, o onboarding remoto passou a ser mais frequente no RH.

Por isso, além de se preocupar com a organização e estrutura do processo, mais do que nunca a comunicação e a disponibilidade para tirar dúvidas se tornaram fundamentais para a realização integração. Confira no artigo a seguir os desafios do onboarding remoto e quais práticas podem ser aplicadas para um bom desempenho do processo.

O que é onboarding remoto?

Primeiramente, temos que separar o onboarding do onboarding remoto. Ambos têm o mesmo conceito, porém, o remoto é feito de forma online, é claro. Para entender sobre onboarding no geral você pode clicar aqui. 

Já o onboarding remoto é um processo de integração do novo empregado, feito de forma online, como citado acima. O fato é que por ser feito remotamente, a atenção precisa dobrar, pois, para não haver erros, a comunicação precisa estar clara e o RH ou gestor disponível para tirar todas e quaisquer dúvidas que surgirem por parte do colaborador.

Assim como o onboarding presencial, o remoto deve contar com um planejamento, sendo ele pensado antes do funcionário começar a trabalhar, no primeiro dia de trabalho e após o primeiro dia. A dinâmica deve ser pensada entre o RH e o gestor do setor e a integração deve atender as necessidades desse empregado.

O mais importante é não deixar nenhuma informação incompleta, sendo elas sobre a cultura da empresa, as demandas diárias e as pessoas que farão parte da equipe. Essa etapa pode ser realizada pelo líder do setor através de um contato por videoconferência, um e-mail ou por telefone.

Como fazer um onboarding remoto?

Como citado acima, o planejamento do onboarding remoto é essencial para o sucesso do processo. Separamos algumas dicas para você aplicar, mas destacamos que cada empresa tem uma forma de integração, você pode usar essas etapas como base para criar o seu próprio onboarding remoto com a cara da empresa em que trabalha.

1. Planejar, planejar e planejar

A primeira dica é: deixe tudo pronto antes do primeiro dia de trabalho do colaborador. Como será feito home office, e importante que o colaborador tenha todos os acessos disponíveis e o material que precisará para cumprir as demandas, como senhas, logins, grupos da equipe e até mesmo notebook/computador e celular – se for o caso.

Além disso, é interessante reunir-se com a equipe e comunicar a chegada do novo integrante, bem como explicar a sua função, de onde veio, quem é, etc.

2. Seja receptivo

A primeira impressão é a que fica, por isso, seja receptivo com o novo colaborador. Um e-mail de boas-vindas vindo do gestor é uma opção, além disso, cria uma linha de comunicação direta entre funcionário e gestão, o que pode facilitar o processo de tira-dúvidas.

3. Seja pontual

Já imaginou criar um link de reunião online e atrasar? Que impressão ruim e que imagem péssima iria passar da empresa para o colaborador que ficou ali esperando as boas-vindas do gestor ou RH. Por isso, seja pontual. Não esqueça de ajeitar a postura, o tom de voz e colocar um sorriso no rosto. Afinal, a chegada do novo colaborador precisa ser no mínimo animada.

Pode parecer bobeira, mas são detalhes que importam muito para o profissional, aproveite a reunião para explicar como a empresa funciona, como será a dinâmica de integração, a quem o colaborador pode recorrer quando haver dúvidas e, etc.

4. Alinhe expectativas

O onboarding remoto precisa ser muito claro com a sua comunicação, por isso alinhe as expectativas do novo colaborador. É importante que o gestor explique como irá funcionar a jornada de trabalho, as entregas, prazos, e os resultados esperados. É imprescindível que líder ouça o que o funcionário espera da empresa, assim como responda suas dúvidas antes de iniciar o trabalho.

5. Acompanhe o colaborador por mais uns dias após a integração

É importante saber como o novo funcionário está se sentindo após os primeiros dias de trabalho. Você pode iniciar a conversa perguntando se falta algo para ele e aproveitar para pedir um feedback sobre a integração. Assim fica mais fácil de se alterar caso haja algum erro no processo.

Debatendo sobre o assunto

Em nosso webinar “Onboarding Remoto: processos e dicas para receber um novo colaborador!” trouxemos duas especialistas da área para debater sobre o assunto e explicar como o processo é feito. Em parceria com o Tangerino, o conteúdo está imperdível e você precisa conferir!

Acesse o material e bons estudos.

Também podem te interessar

Receba novos conteúdos
no seu email:

admissão