O que é feedback e por que ele importa nas empresas?

O que é feedback e por que ele importa nas empresas?

Muito se fala sobre feedback nas empresas, mas o problema é que nem todos sabem como usar essa ferramenta corretamente. Aliás, muitos não sabem o que é feedback, e é exatamente isso que viemos esclarecer nesse artigo! Se você tem dúvidas sobre esse tema, continue lendo!

O que é feedback?

O feedback nas empresas, é uma forma de dar um retorno ou uma avaliação sobre o trabalho realizado pelos colaboradores ou times. Esse retorno pode ser tanto positivo quando negativo.

Ou seja, quando um profissional faz um bom trabalho, é papel do gestor reconhecer o que foi feito e mostrar para o colaborador que ele está no caminho certo e deve continuar agindo dessa maneira.

Por outro lado, se o profissional comete erros ou realiza uma tarefa que traz resultados menores do que o esperado, o gestor deve mostrar que algo não saiu conforme deveria.

onboarding

Qual a importância do feedback?

Agora que você já sabe o que é feedback, precisa entender qual é sua importância para começar a aplicar de vez na organização com seus colaboradores! Se usada de forma correta, essa ferramenta pode ser muito poderosa e trazer grandes vantagens.

O primeiro ponto que o feedback traz, é o direcionamento do trabalho. Isso porque durante a conversa entre o gestor e o colaborador, as expectativas e os objetivos da empresa ou da tarefa em questão ficam muito mais claros. Dessa forma, o profissional entende o que precisa melhorar ou manter em sua rotina de trabalho para que o objetivo seja alcançado.

Além disso, a performance dos profissionais aumenta cada vez mais. Afinal, se um funcionário faz a mesma atividade todos os dias e comete sempre os mesmos erros sem saber, como ele poderia melhorar? Por isso, um bom feedback pode agregar conhecimento e fazer com que os profissionais se desenvolvam.

Outro ponto muito importante, é que dar um retorno sobre o trabalho realizado, aumenta o engajamento da equipe e, por consequência aumenta a produtividade e a retenção de talentos também. Isso acontece porque os colaboradores percebem que estão evoluindo profissionalmente e também, porque se sentem valorizados quando têm um bom trabalho reconhecido.

Por fim, essa troca entre os gestores e os colaboradores, pode facilitar a comunicação interna da empresa. Esse ponto é muito importante para que haja uma melhor fluidez no trabalho e maior liberdade para que todos possam dar ideias e sugerir melhorias na organização.

Como usar o feedback?

Dar um feedback para os colaboradores não se resume apenas a falar o que está errado ou o que está certo. Na realidade, existem alguns pontos que devem ser observados nesse momento, tanto para o feedback positivo, quanto para o negativo.

Positivo

Para fazer um feedback positivo, o primeiro passo é planejar o que será dito, portanto crie um roteiro a ser seguido com todos os pontos que você deseja abordar. Além disso, é importante que a conversa aconteça em um momento e local propício. Isso quer dizer que ambos devem estar confortáveis e a vontade.

Antes de começar o feedback em si, exponha para o colaborador o motivo da conversa para que ele se situe e entenda o porquê de estar ali. Depois disso, reconheça o trabalho do profissional, mostre o que ele fez e quais resultados trouxeram, dê exemplos concretos para que ele tenha uma visão de seu trabalho e justifique o que foi dito. Se for o caso, você pode até mostrar indicadores que “comprovem” o que está sendo dito.

Por fim, dê abertura para que o colaborador possa expor suas opiniões e necessidades. Da mesma forma que ele precisa ter um retorno sobre seu trabalho, o gestor também precisa estar aberto a opiniões que podem ser construtivas para a empresa ou para seu papel como líder.

Negativo

O feedback negativo pode ser uma conversa um pouco mais delicada, já que ninguém gosta de ouvir sobre seus erros. Apesar disso, como já vimos, é muito importante que ele aconteça.

Para dar o retorno negativo, os mesmos passos devem ser seguidos: planejar, escolher um momento e local propício (que não seja em público para que ninguém se sinta constrangido), expor o motivo da conversa, mostrar o que foi feito e quais foram os resultados e dar abertura para que o colaborador exponha suas opiniões.

A diferença aqui, é que o gestor precisa deixar claro para o profissional quais são os pontos fortes que precisam ser mantidos por ele e, além disso, expor o que poderia ter sido feito de maneira diferente. Ou seja, não basta apenas apontar os erros. É preciso encaminhar o colaborador para que haja uma melhora. Você pode inclusive, perguntar para ele o que ele acredita que pode ser feito de diferente no futuro.

Enfim, seja para o feedback positivo ou negativo, é importante lembrar que a conversa não deve, de maneira alguma, ser unilateral. Pelo contrário, o feedback é uma via de mão dupla e deve ser feito de forma respeitosa e humana.

Também podem te interessar

Receba novos conteúdos
no seu email:

admissão