Exame admissional pode reprovar um candidato

Exame admissional pode reprovar um candidato?

Exame admissional faz parte do processo de contratação de um funcionário, acontece depois da entrevista e quando quase todas as etapas já foram concluídas. Mas, você sabe se o exame admissional pode reprovar um candidato?

Essa é uma dúvida recorrente dos trabalhadores, e precisa estar claramente explicada aos profissionais de RH. Portanto, se você tem dúvidas sobre o assunto, continue a leitura do artigo.

Por que fazer o exame admissional?

Primeiramente, temos que entender que pedir o exame admissional ao novo funcionário é uma obrigação e está previsto no art.168 da CLT. É por meio do exame que a empresa e o trabalhador ficam sabendo se ele está apto a exercer determinada função. E o objetivo é proteger a saúde do funcionário, visto que podem ser detectadas doenças pré-existentes.

Por outro lado, a exigência também livra o empregador de ser responsabilizado por eventuais doenças ocupacionais pré-existentes. Evitando assim, que a empresa pague por indenizações indevidas.

O que é avaliado no exame admissional?

O exame de admissão deve ser realizado até 15 dias após a contratação do funcionário, e nele é avaliado a pressão arterial, batimentos cardíacos, questionários sobre doenças familiares e o quadro clínico do trabalhador. Além disso, pode-se fazer exames de visão e audição específicos.

Porém, alguns exames não podem ser feitos, como: exames de gravidez, HIV e esterilidade – considerados práticas discriminatórias. Caso o colaborador passe por alguma dessas situações e se sinta lesado, pode acionar o Ministério do Trabalho. 

Quais as situações que podem causar reprovação no exame admissional?

Aprovado em um exame admissional quer dizer que o trabalhador está apto a exercer a função da vaga. Quando ele é reprovado, quer dizer o oposto, claro. Porém, para que uma decisão seja tomada de forma correta o médico precisa conhecer as condições de trabalho do paciente/colaborador.

O médico do trabalho não deve reprovar o candidato por hipertensão, por exemplo. No caso da pressão arterial estar alta, ele pode sim, ser considerado apto a função, mas deve a manter controlada e monitorada durante os exames médicos periódicos.

Para que um exame admissão tenha resultado de inaptidão, o médico deve explicar e embasar a sua decisão, caso contrário pode ser caracterizado discriminação.

Saiba o que fazer após o exame admissional do seu novo colaborador aqui.

Em resumo, exame admissional pode reprovar um candidato? A resposta é não. E se por acaso acontecer, o médico do trabalho precisa especificar os motivos pelos quais considerou o candidato inapto.

Por hoje é só, mas se você gostou desse conteúdo e quer mais informações sobre admissão digital e tendências de RH,  assine a nossa newsletter e entre no nosso canal do Telegram: Eu Amo RH!

Até o próximo artigo! 💙

Também podem te interessar

Receba novos conteúdos
no seu email: