Como funciona o recrutamento interno e como fazer?

A empresa pode preencher suas vagas de duas formas: recrutamento interno ou externo. Cada método possui suas vantagens dependendo do cargo.

Hoje, vamos explorar mais como utilizar o recrutamento interno e economizar tempo, dinheiro e ainda melhorar a motivação da equipe — será possível isso tudo?

Continue lendo e confira!

Por que fazer e como funciona o recrutamento interno?

O recrutamento interno é o processo seletivo com os próprios colaboradores da empresa. Assim, nada de ficar publicando anúncios no LinkedIn e outros sites de vagas.

Nesse sentido, a vaga será preenchida por um funcionário da empresa, que estava em outra posição. Essa pode ser uma oportunidade para que um colaborador, por exemplo, do atendimento vá para o Marketing.

Dessa forma, o processo pode funcionar de 3 formas:

  • Indicação: líderes indicam alguém de sua equipe que acreditem ser o perfil da vaga;
  • Divulgação: comunicar a todos departamentos a oportunidade, para que os colaboradores se candidatem por conta própria;
  • Reenquadramento: promoção de cargo, conforme critérios do plano de carreira e salários.

As grandes vantagens do recrutamento interno são:

  • Processo de seleção simples e agilizado, afinal já se conhece o perfil comportamental e técnico;
  • Menor custo, pois elimina divulgação, testes, entrevistas e outros;
  • Colaborador já integrado na cultura organizacional;
  • Menos necessidade de treinamento e onboarding;
  • Maior chance de sucesso no preenchimento da vaga.

Ademais, empresas que permitem o recrutamento interno ajudam na motivação do colaborador. Isso porque a equipe vê que há oportunidade de ir para uma posição que tenha mais afinidade ou de crescer.

Nesse sentido, o recrutamento interno estimula a cultura de aperfeiçoamento constante e melhora a produtividade. Ou seja, você facilitou o processo de recrutamento e ainda tem benefícios nas equipes em geral.

Como implementar o recrutamento interno na sua empresa

  •  Descrição de cargo

Descrever corretamente o perfil e as habilidades buscadas é essencial. Assim, você poderá saber exatamente o que procurar nos colaboradores.

Isso é importante mesmo que o recrutamento interno não tenha divulgação. Ou seja, a descrição de cargo será um checklist para escolher qual colaborador é mais indicado para a vaga.

  •  Conheça bem o candidato

Como ele já está na empresa fica fácil saber suas experiências, habilidades e comportamentos. Assim, também é importante perguntar aos seus colegas sobre ele, para conhecê-lo ainda melhor.

Com isso, é possível saber se ele é produtivo, suas habilidades sociais e se possui o perfil comportamental desejado.

  •  Opte por colaboradores com mais tempo de casa

Colaboradores com mais tempo na empresa possuem mais experiência e entendimento da cultura. Além disso, reforça a motivação da equipe, ao saber que há chances de crescimento e que os gestores valorizam as pessoas.

Bem como esses profissionais já possuem melhor facilidade com os processos internos. Por terem mais tempo de casa, conhecem melhor a equipe, o que facilita na execução das atividades.

  • Implemente um sistema de acompanhamento

Caso a empresa ainda não tenha um sistema de RH, é importante implementar. Assim, é possível estar sempre monitorando os colaboradores para descobrir os talentos.

  • Não negligencie os testes e entrevistas no recrutamento interno

Não é porque o candidato já é da empresa que ele fica isento de testes e entrevistas. Afinal, ainda é preciso confirmar se ele quer e está apto a assumir a nova função.

Testes comportamentais são menos requisitados, mas os técnicos ainda são fundamentais. Dessa forma você garante que o colaborador é o certo para a vaga.

Por fim, não esqueça que é preciso atualizar a carteira de trabalho do colaborador. Não sabe como e quando atualizar a CTPS do colaborador? Confira aqui tudo que você precisa saber!

Também podem te interessar

Receba novos conteúdos
no seu email: